quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Miguel Nagib (Escola Sem Partido), prof. Ana Caroline e mestre Antonio Pinho: ‘novidades’ sobre perseguição e doutrinação ideológica nas escolas ‘dêsti paíz’

 

Dia 05/12/2013, 20h00, Miguel Nagib (Escola Sem Partido), Antonio Pinho e Ana Caroline vão conversar e dar seu testemunho sobre a doutrinação e perseguição na escola, na universidade e por todo lugar onde se ouve a palavra "educação"!

A conversa vai girar em torno destes dois casos, principalmente:

. com Miguel Nagib: http://escolasempartido.org/universidades/424-doutrinacao-ideologica-na-fatec-de-barueri-1-parte

. com Antonio e Ana: http://escolasempartido.org/universidades/431-perseguicao-ideologica-na-ufsc

Site ESCOLA SEM PARTIDO, do Miguel Nagib: www.escolasempartido.org

diga_nao

1463975_435372923229136_41735630_n

Reações:

2 comentários:

Esse pessoal é perigoso , alguém lembra do Dirceu ind votar com uma turba violenta.....vou entrar falando alto em uma seção de votação...vou preso......são assassinos psicopatas.........!


com 12 anos em 1986 fui suspenso de uma Escola Católica por dizer que o capitalismo era melhor que o socialismo....

Meus caros, quero compartilhar uma algo sobre doutrinação ideológica em escolas: há, a meu ver, meios legais para combatê-la. Costumo me utilizar da conceitualização progressista/esquerdista para aplicá-la a (contra) ela mesma. Assim tenho estudado o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente). Verifico que há artigos cuja interpretação pode favorecer uma arguição de ilegalidade à doutrinação quando ocorrer em escolas que tenham crianças e adolescentes - clientela escopo do ECA. Adianto um artigo, o 6º do titulo I: nele vemos algo que se repete ao longo de todo o texto, perpassando vários artigos, que é o princípio segundo o qual crianças e adolescentes são "pessoas em desenvolvimento". A doutrinação ideológica fere esta condição, configurando abuso e desrespeito ao ECA. Tenho estudado este precedente e discutido com um especialista no tema que tem me dado razão. Isso porque começo a enfrentar o tema da doutrinação escolar através de programas para adolescentes pré-fabricados pelo Ministério da Saúde na cidade onde atuo como Conselheiro do CMDCA.